Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2014

Às vezes

Às vezes, meu bem, as coisas ficam estranhas. Não, não vou explicar nada. Não há o que explicar, não há o que falar além disto: é estranho. Simples assim, nem tente entender, meu bem. Viva e deixe o tempo.  

Não sei o nome dela

Talvez o nome dela fosse Maria, Cícera, Joaquina, ou qualquer outro. 
Fabiana estava sentada em um dos assentos preferenciais quando dona Maria/Cícera /Joaquina entrou no ônibus. Fabiana levantou e ofereceu o lugar à senhora, que gentilmente perguntou à moça se ela gostaria que segurasse sua bolsa. Fabiana agradeceu e entregou a bolsa. 
A senhora que não sabemos o nome iniciou uma conversa com Fabiana, que não estava lá em um bom dia, se é que você entende. Ela havia se atrasado por não ter enxergado o que estava escrito no letreiro do ônibus anterior, uma pena! 
Há horas em que urgências batem à nossa porta, a dela era marcar uma consulta no oftalmologista. 
 - Não é verdade? - A senhora olhava para Fabiana que aos poucos havia se distraído tentando enxergar o que havia do lado de fora da janela.
 - Desculpe... O que a senhora estava dizendo? 
 - Estava dizendo que as coisas mudam, moça! 
 - As coisas mudam... Isso é verdade. 
 - É sim! Não sozinhas, mas mudam... 
 - Dizem tanto is…

Poderia falar sobre muitas coisas, mas hoje o assunto é a morte

Este não é nem de longe o tipo de texto que costumo postar, mas hoje nossa conversa será sobre algo que quase não falo, mas que todos pensam: a morte.
Quem nunca pensou na morte?!
O que dizem é que se você perguntar a uma criança sobre a morte ela lhe dará respostas mais simples do que um adulto. Nunca fiz isto, mas não duvido. Sabe, não duvido pelo simples fato de que as crianças enxergam o mundo de outra maneira, com outros olhos.
Talvez a leveza da vida fique para outro texto, porque a morte carrega um peso, sofrimento. Mas faz parte da vida: a despedida.
Nós nos despedimos. Dizemos "até logo" contando com planos que esperamos que se realizem, mas de nada sabemos. 
É sermos levados pela correria que planejamos toda a nossa vida, o que faremos em tal e tal dia. Ótimo ter planos! Acho ótimo mesmo! Mas nos levamos tão fácil... Acabamos na ilusão de que temos o controle sobre a vida. E de repente... Chega a notícia de que alguém veio a falecer. Ai!
Somos frágeis. 
Se tem algo q…