Pular para o conteúdo principal

Meu cachorro me ameaçou, não é desculpa!


Hoje teve aula de português e a professora sugeriu que os alunos que não tivessem levado o livro didático fizessem um texto justificando tal acontecimento. Infelizmente eu levei o livro, mas minha vontade de escrever desculpas esfarrapadas só aumentou. Espero que gostem.

Não sei se você sabe minha cara professora, o quanto é difícil conciliar a vida de estudante com as obrigações domésticas. Francamente, não são obrigações, diria que são ajudas, sim, ajudas! Mesmo não as fazendo todos os dias - o que deveria - são ajudas!

Acredite se quiser, mas o mesmo cachorro que urinou em minha apostila de geografia enquanto eu esfregava o chão do banheiro resolveu aprender a ler. Sim, pode acreditar! Ainda existem cães com vontade de aprender.

Ele me ameaçou. Rosnou e me disse que enquanto não conseguisse ler não permitiria que eu levasse o livro para a escola. Ora, você acha que eu ousaria pensar em ir contra a vontade dele? Pantufa pode estar caducando e ter raras demonstrações de afeto, mas ainda assim é um cachorro! E com cachorro não se brinca.

Acalme-se, sei que você deve estar pensando que isso é apenas uma desculpa de quem quer sair de certos apuros, e para provar-lhe que não, contarei o fato a seguir.

Logo após Pantufa tomar o livro de minhas mãos e expremê-lo entre os dentes, Florisvaldo, o peixe, resolveu seguir o exemplo e pulou de seu luxuoso aquário - confesso que não é tão luxuoso assim, digamos que alguns chamam o recipiente em qual ele se encontra de "pote de café" - para perto das patas de Kiara (a gata que deu cria a uma semana), foi ai que a confusão se armou. Kiara tentava de todo jeito abocanhar Florisvaldo. Pantufa, talvez por sorte, não largava do livro, isso que é um cachorro cheio de cultura!

Florisvaldo a uma hora dessas já deve estar no caminhão de lixo junto com as fezes felinas que saíram daqui já faz alguns minutos. Pobre Florisvaldo. Diante da morte de meu querido e amado peixe, a senhora há de concordar que ficaria difícil eu ter forças para tentar recuperar o livro dos dentes de Pantufa.

Pantufa pediu para lhe dizer que amou o livro, mas infelizmente o deixou perto de Kiara, que por remorso e dó do peixe, arranhou todo o livro, o deixando ilegível.

Justifico desde já a falta deste livro nas aulas futuras.

P.S.: Estou preocupada, pois ainda sobraram alguns livros.

P.P.S.: Eu continuaria a escrever, se não fosse pelo fato de Pantufa estar lendo o livro de biologia enquanto baba em cima do mesmo.

Tenha uma boa tarde!


Isabela C. Santos

Comentários

B.Sancio disse…
Você mandou isso para a professora mesmo? OAKSPOAKSOPAKSPOAKSPOAKSPOAKSPOAKSPOKASPOAKS

Ameeeeeeeeeeei *-*

;*
Giidy disse…
viish, qe desculpa mais convencente! , kkkkkkkkkkkkkkk
beeijo :*
gabriel sx disse…
HSUAHUHUUHAUSHUAHSUHSUHUHAUHUAHSUHA
Crianças ... hsuhuahusa
Ninaaa . disse…
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk , mijei :X
isabella,

hj meu blog faz seis meses e vc sempre comenta nos meus posts!

passa lá para cantar parabéns

bj

Postagens mais visitadas deste blog

O lado ruim do carnaval

Confesso que não sou fã de carnaval e não quero mudar a idéia de ninguém, mas como estou vivendo minha tortura anual... vou compartilhar com vocês o lado ruim do carnaval!

1º Programação na televisão: não sei se na "tv paga" também, mas na aberta a programação fica horrível, só se fala de carnaval, dia e noite. Isso é uma verdadeira tortura pra quem não gosta.

2º Perigo nas ruas: o perigo sempre está por ai, mas no carnaval piora, acredite em mim. Brigam com pessoas por ai por nada, espancam jovens, batendo no corpo e principalmente na cabeça, o que pode deixar seqüelas gravíssimas e até levar a óbito.

3º Desrespeito: muitas pessoas tacam lama nos ônibus com janelas abertas e outros resolvem molhar pedestres por ai, sim, eu sei que fazem isso o ano todo, mas no carnaval piora.

4º Bobos na rua: acho que ninguém gosta de quando te dão aquele susto com "bombinhas" e outras coisas toda hora.

Achei que minha listinha ia ficar maior... ah, lembrei! Não é legal pra mim ficar …

Esta data

Esta data sempre me trará lembranças daquela noite e essas lembranças sempre me trarão a sensação de que foi ontem que tudo aconteceu. Datas têm o poder de nos fazer lembrar e as lembranças nos transportam no tempo. Eu sei, tudo muda, a vida segue. O modo como lidamos com o que sentimos também muda e as emoções que determinadas lembranças nos trazem também. Antes era apenas dor, a dor virou saudade, a saudade virou amor e gratidão. Tem coisa melhor do que sentir amor por alguém? Do que ser grato por ter sido tocado por uma vida? Eu sei, queremos eternizar tudo o que é bom, queremos prender, jamais deixar partir, mas isto não está em nossas mãos e apesar de não podermos segurar em nossas mãos aquilo que não queremos perder, depois de um tempo o que fica é a alegria de poder ao menos ter tido a presença de algo tão importante em nossas vidas.
Isabela C. Santos

8 anos

Em oito anos muita coisa pode mudar: o modo de ver a vida, o modo de falar sobre a vida, os assuntos relevantes, as pessoas importantes, os relacionamentos, o modo como nos colocamos diante dos outros, a visão sobre nós mesmos, o conhecimento que possuímos sobre nossos sentimentos... E isso é só o começo.
Em oito anos podemos passar por muitas reviravoltas, ou simplesmente (com muita luta), seguir nossos planos. Podemos, quase que de repente, dar-nos conta do que queremos para nossas vidas e nos ver em um lugar que jamais sonhamos. Talvez o novo lugar contribua para que mudemos a nossa visão de mundo, force-nos a sair da zona de conforto e quebrar um muro para podermos falar com os outros. Pode ser que "os outros" tornem-se "amigos".
Em oito anos, as reticências podem sumir e dar lugar ao nome do amor da sua vida. Pode ser que, coincidentemente, seja aquele seu amigo de infância. Amigo que antes a timidez não permitia nem mesmo chegar perto. Talvez os planos que u…