O básico não é o bastante

   Faz anos que nos deparamos com uma situação desagradável. Marcada pelas imagens de extremo contraste na cidade do Rio de Janeiro, a péssima distribuição de renda do Brasil envergonha o país e causa tristeza à população.

    Existem pessoas que acreditam que pobreza existe apenas quando há falta de alimento, na realidade, este é o grau mais sério da pobreza, a miséria. Para aqueles que foram privilegiados, ou melhor, não foram lesados por essa má distribuição de renda e possuem roupas novas quando necessário, investem em produtos considerados supérfluos e visitam parques de diversão com amigos e familiares, "o mais importante é suprir as necessidades básicas", "estes costumes não são necessários", "o que importa é ter o que comer". Pensam assim porque não passam vontades.

    Vontade de  comprar e não poder, a raridade de desfrutar de momentos prazerosos junto ao grupo de amigos em um cinema, são algumas restrições vividas por quem não passa fome, mas vive no vazio de satisfazer apenas necessidades biológicas. Estas necessidades são de grande importância mas é necessário ter prazer na vida.

    Em um país onde a riqueza se concentra em uma minoria a maioria não deve ficar calada e cabe a União tomar providencias para o benefício de toda a população.

Isabela C. Santos

Comentários

Fernando disse…
É minha cara amiga. O caso não é que as pessoas não tem a chance de enxergar. É que elas não querem enxergar. E quando não se quer enxergar se erra muito.

Meu beijo!
Re Sylva disse…
ola amei seu blog, estou te seguindo
me segue ?
bjs

diarioresylva.blogspot.com
. N i l . disse…
Acabei de te imaginar com uma bandana amarrada ne testa, uma bandeira na mão esquerda e um megafone na direita.

XD~

Postagens mais visitadas deste blog

O lado ruim do carnaval

Esta data

8 anos