Livros na estante

Sabe uma daquelas conversas longas com vendedores simpáticos pelo telefone? Aqueles vendedores que conseguem esgotar todos os recursos firmes e educados para dispensar os serviços que eles estão oferecendo até que a sua única resposta seja simplesmente "não" e você se segure para não complementar com "porque não"? Foi um desses vendedores que de tanto me perguntar o porquê e estrategicamente me tratar de modo aproximado fez com que eu pensasse (mais uma vez) sobre a vida e o quanto vivo num misto de ansiedade, esperança e há quem diga, calma. 

Já havia dito que não tinha tempo para ler porque as coisas que eu tinha que ler me tomavam muito tempo, também falei que tempo me faltava nos finais de semana e que o serviço oferecido e todos os benefícios não me serviriam de nada porque eu simplesmente não conseguiria usufruir (não mencionei o fato de que R$ 2,90 é o preço do pão de queijo na lanchonete da faculdade e que gosto muito dele). Estava me justificando para um desconhecido, sabe-se lá o porquê. 

- Muito obrigada, mas não vou conseguir usar, então será melhor para outra pessoa.

- Mas por quê? Tempo já não é desculpa. Como faz para ver o namorado?

- Olha, não adianta. Vai ser uma daquelas coisas boas que temos à nossa disposição e não usufruímos, será como os livros que estão embalados na minha estante.

- Hoje de manhã peguei um dos meus livros para ler, mas não continuei porque estava com preguiça...

- Obrigada, mas não vou usar. Bom trabalho para você e boa tarde.

- É assim que perdemos oportunidades... Vamos, faço seu cadastro rapidinho, só me passa seu e-mail para eu te liberar.

- Não, não adianta, não vou usar.

- Bom, tudo bem. Então Isabela, sorte pra você, sucesso!

- Obrigada, bom trabalho!

Mal sabia ele que eu estava pensando nos livros embalados e procurando outros para comprar e mal sabia eu que no fim das contas essas minhas compras são todas o tal misto de ansiedade, esperança e calma. Ansiedade em ter o livro em minhas mãos, esperança por realmente acreditar que os lerei um dia e calma por conseguir esperar sem desistir. Mas isso não se aplica apenas aos livros e, se meus livros fossem planos, poderia dizer que vivo criando novos planos para um dia realizar (só espero que esse " um dia" chegue para todos eles).


Isabela C. Santos

Comentários

Esse livro "Contos fantásticos do século XIX" nunca mais vai sair da minha biblioteca!!!
Hahahaha
Esse não está embalado porque já veio assim, mas é um dos que ainda não li e vive na minha lista de leituras futuras!

Postagens mais visitadas deste blog

O lado ruim do carnaval

8 anos

Meu presente